Buscar
  • Nayara Gavinho

O consumidor intrínseco: A relevância das Mídias Digitais provenientes da cibercultura

Mais do que nunca, andamos em uma constante evolução, onde a dinamicidade dos bens materiais, proporcionada pelos avanços tecnológicos, vem transformando, cada vez mais, nossos dias e nossa cultura. Vivemos em uma era onde é simplesmente impossível negligenciar a tecnologia que veio para, de alguma forma, suprir uma necessidade psicogênica dos seres humanos: Estamos falando das redes sociais; as quais surgiram para reintegrar as pessoas aos seus meios sociais e inseri-las em grupos de referência, oferecendo uma nova percepção de pertencimento e, remediando assim, o isolamento social causado pela ausência de tempo livre.


Partindo-se desse princípio, empresas as quais identificaram a oportunidade de estarem presentes no cotidiano desses usuários através de seus veículos de comunicação preferidos, com certeza são as mais admiradas, dado que, as mídias digitais, espaços provenientes das redes sociais, são um forte canal de comunicação entre uma marca e seu público. Seja através de um smartphone, de um tablet ou de um computador, a interação com a marca é imediata e direta.


Essa forma de aproximação com o consumidor, permite que o mesmo seja um co-criador dos produtos e serviços através de uma espécie de crowdsourcing; termo que representa a contribuição de usuários para determinado produto ou serviço em forma de feedbacks, sejam eles positivo ou negativos. Todas essas informações devem ser impecavelmente aproveitadas e administradas.


No aspecto mercadológico, as mídias digitais, além de terem um custo inferior às demais, permitem uma melhor segmentação de mercado; é possível alcançar o público desejado, no momento desejado. A recepção dos anúncios acontece em um momento oportuno, no qual o público está predisposto a ser impactado; as empresas que apostam em mídias sociais podem se aproveitar do exercício de um hobby do consumidor e inserir sua mensagem de uma maneira que esse a perceba como uma forma de entretenimento e não como uma propaganda convencional que tenta o convencer de algo. Afinal, além de produtos e serviços, o consumidor deseja consumir informação e entretenimento.


Relacionar-se com o cliente através de uma mídia digital ou rede social é muito mais do que responder ou “curtir” um comentário; é aprofundar-se na análise e compreensão das verdadeiras necessidades desse, de modo que cada forma de expressão seja válida para o desenvolvimento do próximo planejamento ou revisão do atual, seja ele mercadológico ou de comunicação.

© 2020 -  Nayara Gavinho